Salve Tonel, o Justo

Não interessa que o árbitro não tenha visto um penalti sobre Sturgeon, jogador do Belenenses e por isso colega de equipa de Tonel. Nem interessa que os do Restelo tenham chegado aos 91 minutos com a baliza a zero, o que interessa é que os viscondes “mereciam a vitória” e como tal o ex-jogador dos viscondes e Stromp, fez questão de colocar justiça no resultado.

É claro que um penalti acontece, e não quero crucificar Tonel, como durante anos andaram a fazer com Jorge Costa quando este marcou um autogolo ao serviço do Marítimo. Relembro apenas que esse Porto-Marítimo ficou 3-1, e o autogolo aconteceu aos 44 minutos.

Apesar de achar, ter quase a certeza, que Tonel não o fez para servir o seu anterior clube (ele que até foi criado nas nossas escolas), acho que é preciso muita ingenuidade para um defesa central de 35 anos saltar, dentro da área, aos 91 minutos com o braço todo esticado para cima.

Ainda para mais quando já se viu, como no jogo contra o Tondela em Aveiro, que aos viscondes os árbitros não têm receio de marcar os penaltis. Sejam eles nos primeiros minutos ou nos descontos. O que é perfeitamente normal, quando estes existem. Anormal é não verem o penalti sobre o Maxi na última jogada do Marítimo-Porto, lance onde a bola acabou na barra, porque Maxi foi carregado nas costas.

Espero que depois do colo, o menino Jesus não passe agora a andar de mão dada…

Comentários