Peseiro pede tolerância aos adeptos

José Peseiro considera que o FC Porto ficou a “dever muitos golos” ao resultado, na vitória por 2-0 frente ao Gil Vicente, que carimbou o apuramento para a final da Taça de Portugal. O treinador viu a equipa fazer “um jogo sério”, apesar da vantagem confortável que trazia da primeira mão e do facto de terem alinhado alguns futebolistas com menos rodagem na equipa principal.

“Missão cumprida. Foi um jogo sério de uma equipa que tinha uma vantagem de 3-0 mas não relaxou, bem pelo contrário. Pegou no jogo, dominou, controlou e criou várias oportunidades. Houve falta de eficácia, mas o mais importante foi termos construído as oportunidades com paciência, organização e controlo. As oportunidades que hoje foram desperdiçadas vão ser concretizadas noutro momento. Com a continuidade do treino e a perseverança, vamos fazer mais golos noutros jogos”, resumiu, na sala de imprensa do Estádio do Dragão.

Peseiro sublinhou que os jogadores cumpriram com o que foi pedido e fizeram um “jogo de qualidade”, que carimbou o objetivo Jamor. “O que fica é que estamos na final da Taça com todo o mérito”, destacou o técnico, que recusou pensar em objetivos a longo prazo e falar da situação na Liga NOS. “Amanhã vamos treinar e preparar-nos para Braga. Essas perguntas, na minha opinião, não fazem sentido. O objetivo é apenas ganhar ao Braga, amanhã vamos treinar e fazer descansar alguns jogadores”, respondeu, referindo-se já ao desafio no Minho, este domingo, às 20h30.

Por último, Peseiro deixou uma mensagem de união para os adeptos, pedindo “tolerância” para os jogadores que chegaram há menos tempo à equipa, como Marega, que se estreou a marcar pelos azuis e brancos esta quarta-feira. “Todos os jogadores sabem da responsabilidade e exigência deste clube e dos nossos adeptos. Os adeptos também sabem que temos jogadores novos, que chegaram há muito pouco tempo e não sabiam o que era jogar com esta camisola e a sua pressão e exigência. Quero elogiar a forma como se integraram. Os nossos adeptos têm de perceber que não podem deixar de ser exigentes mas devem ser tolerantes”, observou.

*in FCPorto

Comentários