“No nosso balneário vive-se este momento com muita ambição e determinação” – Sérgio Conceição

conferencia_imprensa_sergio_conceicao_2_230118

Sérgio Conceição lidera um plantel entusiasmado com a presença na final a quatro da Taça da Liga, em Braga, e a razão é óbvia. Está em jogo um título e, para lá chegar, o FC Porto tem de dar um primeiro passo: bater o Sporting, na meia-final, esta quarta-feira, às 20h45 (com transmissão em direto na RTP 1 e Sport TV 1). O treinador não quer pensar para já na final (a disputar no sábado, à mesmo hora), mas sublinha que o grupo está ávido de conquistas, porque, no plantel, apenas Herrera ostenta um título com a camisola azul e branca.

Expetativas
“São as melhores, de fazer um bom jogo e poder passar à final, sabendo de antemão que vamos defrontar uma equipa que tem feito uma excelente época. Ainda não perdeu nas provas internas, assim como nós, e penso que vai ser um bom jogo, bem disputado, com grande vontade de ambas as partes de passar à final. No nosso balneário vive-se este momento com muita ambição e determinação.”

As ligações ao treinador do Sporting
“Tive o prazer de trabalhar com o Jorge Jesus há 20 e poucos anos. A minha carreira como jogador passou depois pelo FC Porto e por clubes fora de Portugal. Depois desse ano, as nossas conversas foram sempre relacionadas com esses momentos que passámos juntos, nada mais do que isso. Tenho a minha forma de estar e trabalhar, que certamente é diferente da do Jorge Jesus. Obviamente que reconheço que é um excelente profissional, que tem feito nos últimos anos um grandíssimo trabalho, mas isso também não é sinónimo que veja o futebol da mesma forma que ele. Quem aprofundar o estilo e as ideias de jogo de ambos talvez veja que não são as mesmas, adequadas ao perfil dos jogadores que temos à disposição. Foi um dos treinadores que apanhei na minha longa carreira de jogador, mas como já disse muitas vezes não me revejo em ninguém.”

Sérgio Oliveira no onze, tal como em outubro?
“A inclusão de jogadores de caraterísticas diferentes de um atacante, por si só, não quer dizer nada. Não é justo dizer que em Alvalade tivemos superioridade por metermos mais um médio. Criámos algumas situações que poderiam ter criado um resultado diferente, mas amanhã será outro jogo, já passou algum tempo desde esse jogo para a Liga.”

Os reforços Waris e Paulinho
“Estão em condições de ser integrados na convocatória. O que podem trazer era o que já referia antes de chegarem: são mais opções para podermos ter uma equipa competitiva em todos os jogos. Em janeiro, fevereiro e março, serão cerca de 24 jogos que vamos disputar. À medida que nos aproximamos de maio, os jogos vão ser cada vez mais decisivos. Além da sua qualidade individual, podem ser úteis por ser mais duas soluções importantes.”

Derrota pode ter efeitos noutras competições?
“Algum clube vai ter que ficar pelo caminho, nem que seja nos penáltis. Não quero acreditar que, a nível emocional, quem perder possa ficar condicionado para os jogos que aí vêm. É importante sempre ganhar, contra um rival que está praticamente em todas as frentes connosco, mas isso não tem que limitar a equipa no futuro. A vida continua. Isto é uma maratona, há quatro meses pela frente de muitos jogos, o importante é prepararmos bem o encontro, sermos uma equipa competitiva, muito determinada em campo, a saber o que quer.”

Um título à vista
“Não há que dramatizar, apesar da vontade que tenho de chegar à final. Nunca consegui na Taça da Liga chegar a esta fase e penso que os jogadores também demonstraram ambição nas declarações. Penso que o Héctor [Herrera] foi o único que já ganhou um título pelo FC Porto, uma Supertaça. Os outros não ganharam nenhum e nada melhor do que essa vitamina, de saber que em dois jogos podemos conquistar um título. Pensamos obviamente no mais importante, que é o de quarta-feira.”

O apoio dos adeptos
“São sempre extremamente importantes para nós, sabemos do mar azul que tem existido este ano em volta da equipa. Os bilhetes destinados aos nossos adeptos esgotaram em poucos dias e vamos jogar num campo neutro, mas perto do Porto. Esperamos proporcionar um bom espetáculo e que eles consigam, da mesma forma que nos abraçamos no fim de cada jogo, estarem todos com a equipa, abraçarem a equipa. E nós abraçarmos o público, com a exibição e uma vitória.”

Saídas no plantel?
“O João Costa assinou pelo Gil Vicente, é importante que possa jogar. Não existe ideia nem vontade que mais ninguém saia – vamos ver no futuro, mas neste momento não há nada planeado nesse sentido.”

*in FCPorto

Comentários