Jankauskas e a equipa de 2004: “Aquela equipa foi das melhores que já vi”

A particularidade de ser o único jogador lituano a ter vestido a camisola do FC Porto reserva imediatamente um lugar na história a Edgaras Jankauskas, mas não é só por isso que os adeptos portistas guardam boas memórias do avançado nascido em Vilnius, capital da Lituânia.

Loiro, alto, olhos azuis, Jankauskas não foge ao protótipo do homem de Leste e, enquanto jogador de futebol, não ficava a dever nada a ninguém no que à técnica diz respeito. Chegado ao FC Porto na antecâmara da época 2002/03, Jankauskas já tinha sido notícia quando trocou o Club Brugge, daBélgica, pela Real Sociedad, de Espanha, em Janeiro de 2000, transferência que fez dele o jogador lituano mais caro da história do futebol.

Depois de uma passagem discreta pelo País Basco, com um empréstimo ao Benfica pelo meio, foi no FC Porto que Jankauskas viveu os melhores anos, o que o próprio assume mais à frente.

Vencedor, entre outros títulos, da Taça UEFA em 2003 e da UEFA Champions League em 2004, o “gigante” lituano regressou ao Estádio do Dragão no jogo de homenagem a Deco, entre o FC Porto de 2004 e o FC Barcelona de 2006, e conversou com a “Dragões”, aproveitando para recordar por palavras os anos inesquecíveis de azul e branco.

“O FC Porto foi o clube que mais marcou a minha carreira e nunca o escondi. Fui muito feliz aqui e ganhei praticamente tudo o que havia para ganhar, pelo que só posso guardar as melhores recordações. Aquelas duas épocas consecutivas em que conquistámos as duas maiores competições europeias de clubes vão ficar na história do futebol. Surpreendemos o mundo inteiro, mas a realidade é que aquela equipa foi das melhores que já vi. Com José Mourinho, éramos uma autêntica máquina de jogar futebol”, afirmou Jankaukas, à altura treinador do FK Trakai, uma das melhores equipas da principal Liga lituana.

Apontou 19 golos em 82 jogos pelo FC Porto e a DRAGÕES desafiou-o a escolher o melhor de todos. Após uns segundos a puxar pela memória, a resposta foi de caras.

“Nunca esquecerei o último dos três golos que marquei em Braga, num jogo das meias-finais da Taça de Portugal. Vencemos por 3-1 e tive a felicidade de fazer um “hat-trick” que nos ajudou a avançar para a final da competição. Aproveitei um ressalto de um lance com o Deco e rematei com o meu melhor pé, o esquerdo, de fora da área. Apanhei bem a bola e o remate saiu muito forte e colocado, sem hipóteses para o Quim, que na altura era o guarda-redes do Sporting de Braga. Acredito que foi um grande golo em qualquer parte do mundo”, disse o ex-avançado portista, que viveu efetivamente uma noite de glória a 16 de Março de 2004.

Os três golos apontados por Jankauskas no Estádio 1.º de Maio, em Braga, permitiram ao FC Porto apurar-se para a final da Taça de Portugal, que acabaria por fugir dias antes da reconquista europeia, em Gelsenkirchen. Aí, Jankauskas ergueu um dos sete troféus que conquistou de Dragão ao peito: duas Ligas portuguesas, uma Taça de Portugal, duas Supertaças de Portugal, uma Taça UEFA e uma UEFA Champions League.

“Continuo a acompanhar o FC Porto sempre que posso e a vibrar com as suas vitórias. É muito difícil passar pelo FC Porto e não ficar com aquele carinho especial, tão próprio de quem gosta do clube. Fui muito feliz no FC Porto e jamais esquecerei tudo o que ganhei aqui. Torço para que continue a ter o maior sucesso”, confessou Jankauskas, que do alto dos seus 1,93 metros continua a vislumbrar um passado de ouro sobre azul.

Texto publicado na rubrica “O Golo da Minha Vida” da edição de setembro de 2014 da “Dragões”.

*in FCPorto

Comentários